12 abril 2017

O nosso propósito



O que fazes com o teu desconforto? Gostava de te convidar a refletirmos sobre isso. 

Essa tem sido uma presença importante na minha vida e nem sempre lhe dei o devido valor. Permitir-nos sentir o que não é para nós, custa-nos muitas vezes o desencanto de uma expectativa que passamos uma vida inteira a perseguir. Permitir-nos sentir o que não é para nós é um grande exercício de humildade, de “quebramos” perante algo superior a nós e percebermos que nós não controlamos nada e quanto mais resistimos e insistimos em permanecer nessa energia, mais o nosso campo de visão se fecha e mais nos vamos afastando dele, O Nosso Propósito. Que hoje pode ser um e “amanhã” mudar, pois o grande coração da Vida ensina-nos esta básica e universal lição, tudo está em constante Mudança. A nossa participação neste Todo é “apenas” permitir-nos Ser o que a vida nos vai propondo a cada instante, confiando que tudo o que vem até nós nos traz uma necessária e valiosa aprendizagem e que vem contribuir para a nossa evolução. Para isso precisamos fazer o nosso trabalho de casa e conectar-nos. Esse é o nosso verdadeiro trabalho, o resto... acontece!

Termos a consciência que todos temos uma missão única e valiosa tira-nos daquela zona de conforto de vivermos os dias cheios de tarefas no exterior. Estamos em fuga, desagregados, em sofrimento. Não nos permitimos sentir. O universo não precisa de mais cargos... precisa que todos comecemos a dar passos atrás! A despir-nos das capas de cebola que fomos construindo ao nosso redor, como uma couraça que nos impede de SER. Precisa que voltemos a conectar-nos com a Mãe Natureza, a respeitá-la e a cuidar dela. Precisa que reencontremos a nossa sabedoria para com a comida que escolhemos para nutrir o nosso templo. Precisa que cada um de nós reaprenda o valor de parar, de estar consigo próprio, de formar uma tribo, onde o apoio e a escuta ativa são os pilares. Precisa que pouco a pouco vamos testando novas formas de troca entre os serviços, honrando o dinheiro, mas recolocando-o no seu devido lugar. 

Somos seres criativos, intuitivos, livres.

Abraço com carinho ♡



Sem comentários:

Enviar um comentário

Flamenco