05 janeiro 2016

Se há mês perfeito para estrear um espetáculo...



Janeiro é o mês!
Recomeços e novos projetos =)
Vamos a isso 



Estar sozinho é muito diferente de estar só.”

Sola é um espectáculo de dança que, a partir do flamenco tradicional, nos vem falar de um percurso. 
O do amor-próprio. Sola é também, e por isso, uma declaração de amor. 
De um amor maior, que atravessa os corpos e não se personifica em nenhum, ou que habita todos. 
Fala da aprendizagem vital de estar bem consigo, aquela que dissolve toda e qualquer solidão. 
Mesmo, e sobretudo, quando a sós. 
Fala de encontros e desencontros e de ser a cada dia um bocadinho mais genuína, 
mais a mulher que se é, sola. 



No mesmo fim-de-semana, no mesmo local...!




Identidade é tudo aquilo que nos define enquanto seres únicos, o que nos diferencia. 
Mas mais do que um processo estanque, é antes um conceito em constante transformação e reconstrução, mediante as circunstâncias que ocorrem e a consciência que vamos adquirindo delas, 
construindo através desse caminho contínuo “Quem Eu Quero Realmente Ser”.
A Dança surge aqui ao serviço desta necessária experimentação dualista: “Não poderíamos conhecer o Quente sem o Frio, o Alto sem o Baixo, o Rápido sem o Lento. 
Não poderíamos conhecer a Esquerda sem a Direita, o Aqui sem o Ali, o Agora sem o Depois”
 … Surge como um veículo de expressão, de comunicação, de evolução.
"F." de Flamenco... a minha dança eleita, o meu percurso constante de vida, o meu Amor, a minha Liberdade, a minha Alegria, a minha Dor, a minha Frustração, as minhas Questões, por vezes o meu nada.
"F." de Fado... a minha Cultura, o meu Sentir, a minha Emoção, a possibilidade de lhe aportar um flamenco empírico, de lhe dar um baile sem regras, a crença de que, para além de forçadas fusões, existe um caminho paralelo entre ambos repleto de sublimes sinergias, a identificação intrínseca com expressões como "Olé Fadista!", a possibilidade de "falar" na minha língua a minha linguagem!
O Flamenco e o Fado são assim as duas artes, únicas na sua singularidade mas também magicamente complementares, que escolhi por instinto como instrumento pessoal de debate naquela que é a minha (re)construção identitária.

Este espetáculo conta com a presença de vários fadistas convidados, como Sara Correia, Diana Vilarinho e Miguel Ramos a quem muito agradeço por terem sido capazes de emprestarem a sua maravilhosa “identidade” a esta viagem!


Bilhetes: 1 espetáculo (8 Euros) 2 espetáculos (12 Euros) | Idade: M/6 anos


Conto com a vossa presença =)


1 comentário:

Flamenco